Se sou mais que uma pedra ou uma planta?
Não sei.
Sou diferente.Não sei o que é mais ou menos.
Fernando Pessoa.

domingo, 28 de novembro de 2010

Fome.

Na padaria da esquina,
a menina,
vende sonhos embrulhados em papel  nostalgia.





.

5 comentários:

  1. Mastiguei um sonho do mundo da Lu(a), delicioso. Ainda quero provar outros sonhos da padaria daqui.
    Beijos, obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  2. BelissimO isso aí. Vc escolheu bem as palavras poeticas. Papel nostalgia, por exemplo, ficou da hora.
    Pois é, lu, eu também adoraria uma taberna só de poetas. Aqui em Salvador eu frequentava um lugar mais ou menos assim. Digo mais ou menos porque às vezes tinha uns malas que convenhamos...Eu discutia muito sobre muitas coisas e também me divertia a granel. Achei lá algumas musas. Foi legal. Hoje o local não existe mais e vivo a sonhar com um lugar assim, como descrevi no haikai que vc leu.

    Mil beijos!

    ResponderExcluir
  3. Gostei do blog. Seus textos me lembram Ana Cristina. Animal.
    "E se falo apenas coisas, este fato já basta para que meu dizer seja
    nada,
    branco,
    feito página pedindo para ser tingida...
    feito boca pedindo para ser beijada."

    Esses versos são ótimos.
    Toda esquina tem uma padaria velha, vendendo sonhos amassados, com sabor de nostalgia. Acho que é por aí.

    Se me segue, então, também, te sigo.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Ráa, se sonhos pudessem ser vendidos ...

    ResponderExcluir