Se sou mais que uma pedra ou uma planta?
Não sei.
Sou diferente.Não sei o que é mais ou menos.
Fernando Pessoa.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Encantador de letras




Aquele poeta brinca com as palavras, com tamanha liberdade
que assemelha-se à criança a brincar com seu brinquedo favorito.
Ao seu lado, legiões de sentimentos desorganizam-se e tornam-se outros eternamente,
E aqueles dedos que acariciam a pele da mulher, também ferem fundo a alma,
Também dizem das maldades e dos medos que o mundo nos oferece...
E pelas ruas, onde passam seus pés,  trôpegos de palavras não externadas, ficam impressas as marcas do caminho já percorrido,
das noites povoadas de solidão,
da eterna doação de si mesmo para o nascimento de mais uma poesia,
para o amanhecer de mais um novo dia.
Dia este que domina com a habilidade de um maestro a espera do som perfeito...
E de tanto encantar, o poeta, vê-se encantado e ele e a poesia já não são diferentes
são a mesma coisa e outra coisa o tempo todo.

3 comentários:

  1. Obrigado pela visita no meu blog. Gostei muito das suas coisas também. Vou seguir. Beijo.

    ResponderExcluir